concurseira espantada quando descobriu a melhor tecnica para estudar para concurso

As Melhores e as Piores Técnicas para Você Estudar para Concurso

concurseira espantada quando descobriu a melhor tecnica para estudar para concurso

Você sabe qual é a melhor forma de estudar para concurso?

Pesquisadores de 4 universidades dos EUA podem ajudar você a desvendar este enigma.

Eles compararam várias técnicas de estudo e comprovaram que as 3 mais populares não são as melhores para a sua preparação.

É um problema mundial e envolvem estudantes de todas as idades. São estudantes do ensino fundamental ou do MBA. Quase todo mundo passa a vida sem aprender a estudar.

Os currículos das escolas, segundo The Washington Post, não desenvolvem a capacidade dos alunos de aprender melhor. E esse é um dos problemas causadores da crise educacional.

Estudantes aos montes, abandonam os estudos desmotivados com seu desempenho.

E para os concurseiros, estudar da forma certa é crítico.

Todos os anos milhares de pessoas se dedicam aos estudos como você. Elas buscam seus sonhos. Mas, amargam o destino da frustração na reprovação em concursos públicos.

Passar em concursos é uma briga contra o tempo. Vence quem consegue aprender melhor em menos tempo.

Ser esforçado e dedicado não garante a vaga. A aprovação em concursos é para quem usa os métodos e as técnicas certas para estudar.

Muita gente competente não consegue ser aprovado.

Você deve conhecer alguém estudioso que falhou em uma prova decisiva. Concursos ou vestibulares!

E você? Também usa uma destas técnicas que pouco ajudam no aprendizado? Não coloque em perigo a sua aprovação.

Eu convido você a ler este artigo e descobrir o que a ciência sabe sobre as melhores formas de estudar para concurso.

oferta especial no inicio e final do artigo com imagem

Como a ciência pode melhorar a sua chance de ser aprovado

A revista Psychological Science in the Public Interest publicou um excepcional artigo. A comparação de 10 técnicas de estudo.

avaliacao das 10 tecnicas mais populares as melhores e as piores

fonte:http://journals.sagepub.com/stoken/rbtfl/Z10jaVH/60XQM/full

Os pesquisadores analisaram centenas de experimentos, estudos e pesquisas sobre a melhor forma de estudar. Eles compararam e avaliaram as 10 técnicas que são as mais populares e as mais eficientes.

Destas técnicas, 5 foram classificadas como de baixa eficiência. E no mínimo 3 são as mais utilizadas pelos concurseiros.

Dica ninja: Os pesquisadores não estudaram a combinação de técnicas. Um misto de técnicas pode criar um poderoso método de estudo.

Atenção: Este post tratou de 5 técnicas da pesquisa (3 de baixa eficiência e as 2 de alta eficiência). Mas, conhecer todas as técnicas é importante. Por exemplo, a técnica mnemônica considerada de baixa eficiência, é ótima para condições específicas.

As técnicas que mais enganam você

Muito estudo não ensina compreensão
Heráclito

Vamos analisar primeiro as 3 técnicas menos eficientes e mais populares: resumo, grifar e releitura.

# Técnica de estudo: Resumo – Eficiência: Baixa

O rendimento nos estudos de quem faz resumos é quase o mesmo de quem faz anotações durante o estudo.

A desvantagem é o tempo que se perde elaborando resumos. Aplicando técnicas de estudo mais eficientes você aprende mais no mesmo tempo.

Mas, vamos analisar melhor os resumos. Além de serem muito usados, os especialistas em preparação para concurso divergem muito sobre sua aplicação.

Vamos analisar duas formas de resumo: sem consulta e com consulta

Quando você resume sem consulta, o cérebro organiza melhor as ideias. O efeito de recuperação das informações gera um ganho no aprendizado.

O problema que este resumo tende a ficar incompleto ou errado. Em uma primeira leitura de um texto você não consolidou todo o conhecimento. É necessário estudar mais o conteúdo para identificar os pontos importantes.

Já nos resumos com consulta eles ficam completos e precisos.

Em contrapartida, o ganho na aprendizagem é baixo pois você não utilizou o processo de relembrar.

Como fazer os melhores resumos

Mesmo sendo um técnica de estudo de rendimento baixo, ela é eficiente quando você estuda uma matéria importante que não entra na sua cabeça de forma alguma.

Nestes casos, os especialistas em preparação para concursos indicam um uso especial de resumos. Eles são com palavras chaves e elementos gráficos.

São diferentes de um simples resumo. São esquemas, tabelas e mapas mentais que você desenvolve com os seguintes passos:

  • Escreva palavras-chaves ou abreviações para agilizar a escrita e leitura.
  • Use letras grandes para chamar a atenção e facilitar a memorização.
  • Abuse de cores para ativar várias áreas do cérebro e aumentar a recuperação.
  • Use imagens simples e engraçadas para potencializar a memorização.
  • Desenhe setas e linhas para expressar fluxo ou ligação de ideias.
  • Utilize poucos elementos para facilitar a visualização de todo o conteúdo.
  • Faça à mão porque a interação motora também aumenta a memorização.

 

Atenção: Cuidado com o perfeccionismo. Mapas mentais, esquemas, fluxogramas e tabelas não são trabalhos de educação artística. Demora fazer um mapa mental e se você caprichar vai demorar mais.

primeira oferta especial do artigo na esquerdaEstas ferramentas geram salto na aprendizagem. Você organiza as informações em torno de um conceito chave. Você memoriza e entende o assunto.

Outra grande vantagem é a rapidez e facilidade para elaborar as revisões.

Dá para fotografar os mapas mentais no smartfone e estudar enquanto você espera a sua vez no dentista.

O maior problema dessa técnica continua sendo o mesmo: o tempo para elaborar os mapas mentais e os esquemas.

Em um único capítulo de um livro podem ser necessários vários mapas mentais para abordar todas as informações.

É esta relação de custo-benefício que gera divergência entre os especialistas em preparação de concurseiros.

Quando fazer esquemas e mapas mentais?

Alguns especialistas defendem mapas mentais para tudo. As revisões ficam dinâmicas, proveitosas e fáceis. O que é verdade!

Outros defendem que você elabore os esquemas somente quando você não consegue entender o assunto. Porque falta tempo para tantos detalhes. O que também é verdade!

Para ajudar você a decidir como utilizar os mapas mentais, eu separei dois vídeos de especialistas.

Assista este vídeo do Alexandre Meirelles indica o uso moderado dos esquemas.

O outro vídeo é do Felipe Lima, que indica o abuso de mapas mentais. Clique aqui e assista.

Atenção: A ciência usa o desempenho médios dos estudantes para comparar as técnicas. A definição de quais ferramentas usar dependem de sua avaliação.

A experiencia faz toda diferença

Resumir é eficiente para alunos que conhecem bem o processo. São estudantes que conhecem as melhores formas de extrair o essencial do texto com velocidade.

Então, para você escrever bons resumos é necessário investir tempo em treinamento. Desta forma essa técnica é de difícil aplicação.

Tempo é a única coisa que concurseiro não tem!

# Técnica de estudo: Grifar – Eficiência: Baixa

estudante usando marca texto de forma errada

Destacar ou grifar textos possuem benefícios e dificuldades semelhantes aos resumos. E esconde uma utilidade que pode ajudar a sua preparação.

Você memoriza melhor quando tem que analisar o que realçar. Mas, você também tem a dificuldade de selecionar o essencial.

É também uma técnica popular. O estojo de qualquer estudante tem uma caneta marca-texto.

Comparado com resumir, o ganho em conhecimento é menor. A interação com o material é menor do que resumir, criar esquemas e mapas mentais.

Como tornar o grifado uma arma poderosa

A grande vantagem desta técnica é ser suporte das revisões. Grifar cria um ambiente visual de consulta fácil. É também um processo rápido. Destacar atrasa pouca a leitura do material.

Realçar e anotar no próprio material enquanto você estuda deixam as revisões ágeis.

O vídeo anterior do Alexandre Meirelles cita o uso do grifado para ajudar nas revisões.

Dica ninja: Existem materiais que vêm com os trechos destacados, o que facilita a sua vida. Mas, prejudica a aprendizagem porque você não força a mente para extrair o essencial do texto.

Atenção: Estudos demonstraram que usar o destaque pode prejudicar você em aprender conceitos. Quem sublinha pensa em fatos e não na ligação de ideias.

# Técnica de estudo: Releitura – Eficiência: Baixa

primeira oferta especial do artigo na direitaReleitura do texto é um outro método de estudo popular entre os estudantes.

Uma pesquisa com estudantes universitários constatou que 19 % dos alunos releem capítulos inteiros e 64 % partes do material. Saiba mais sobre as técnicas de estudo de universitários neste artigo.

Os pesquisadores analisaram a eficiência da releitura para duas condições.

Releitura massiva

Uma condição é a releitura sem intervalo – releitura massiva. Os pesquisadores compararam quem lê uma única vez com quem faz várias releituras seguidas.

a releitura aumenta o resultado na prova ate certo ponto

O resultado da leitura massiva é restrito. O ganho em conhecimento cai depois da primeira releitura do texto. Como visto no gráfico, agregou pouco gastar tempo em reler o texto 4 vezes.

Isso todo estudante já sentiu na prática.

Reler 10 vezes a matéria antes da prova não transforma o que você aprendeu em conhecimento duradouro.

Releitura espaçada

Outra condição avaliada é a releitura com intervalo. Esta técnica é útil para aprender.

Os pesquisadores compararam a técnica de reler sem intervalos com a da releitura espaçada – releituras com intervalos.

eficiencia do intervalo na memorizacao

O ganho da releitura espaçada é maior do que da leitura massiva. Mas, também é restrito. O rendimento cai bastante se você reler muito tempo depois da primeira leitura.

Neste caso você perdeu todo o trabalho. O resultado de reler muito tempo depois foi próximo ao da releitura massiva.

Dica ninja: Crie um plano de estudo que explora o funcionamento do seu cérebro. Faça as suas revisões no prazo certo para o estudo render.

Reler um texto é a melhor forma de você aprender?

A questão que fica no ar! Você poderia usar o tempo de reler com outro método para aprender mais rápido?

A técnica de releitura é popular porque é fácil e leva a ganhos na aprendizagem.

O que o torna a técnica fraca é que seu efeito sobre a aprendizagem.

Se você usar o tempo de reler um texto para resolver exercícios, seu conhecimento sobre os tema será maior. Como veremos a seguir.

Você sabe quais são as duas técnica de estudo mais importantes?

As técnicas de estudo que não podem faltar na sua preparação são: resolver exercícios (muitos exercícios) e revisar o que estudou para fixar o conteúdo (usar um cronograma que respeite a memorização).

# Técnica de estudo: Exercícios – Eficiência: Alta

Se alguém ainda tem dúvida que os exercícios são importantes na sua preparação, para tudo!

Resolver exercícios podem dobrar o seu desempenho.

O impacto da técnica dos exercícios práticos revoluciona a sua aprendizagem.

São centenas de experimentos realizados durante 100 anos de pesquisas. Tudo para demonstrar que os testes aumentam a aprendizagem e a memorização.

Testes práticos melhoram a memorização porque também envolve a recuperação da informação. Quando você lembra de um conceito pavimenta um caminho para as informações.

O experimento representado no infográfico demonstra um ganho no dobro dos resultados.

Os exercícios ajudam os concurseiros a organizarem melhor os conceitos. Você cria uma base sólida para aprofundar o seu conhecimento no assunto.

Só se conhece o que se pratica
Barão de Montesquieu

Você pode criar seus próprios testes com a ferramenta de estudo flashcards. São cartões com as perguntas de um lado e as respostas do outro. Você estuda os cartões dentro de uma programação de repetição organizada no seu planejamento.

Dica ninja: Faça muitos exercícios.

Alerta de spoiler: Divida os exercícios em grupos e resolva com intervalos para aumentar a aprendizagem.

# Técnica de estudo: Prática distribuída – Eficiência: Alta

segunda oferta especial do artigo na esquerdaVocê pode estudar um assunto várias vezes durante a sua preparação para prestar concursos.

Revisar suas anotações ou flashcards. Resolver exercícios ou estudar um texto depois de uma aula.

Prática distribuída é realizar estas diferentes atividades ao longo do tempo.

Fazer um exercício ou uma revisão depois de algum tempo força o cérebro a consultar a memória de longo prazo.

Recordar algo que você acabou de estudar é fácil. E pode levar a um erro de avaliação do quanto você sabe sobre o assunto.

Atenção: Na prática espaçada você faz exercícios práticos sobre o assunto e não um novo estudo. Clique aqui e descubra as técnicas de memorização.

Como uma agenda pode ajudar você a estudar para concurso

Os pesquisadores definiram de quanto são os intervalos na prática distribuída. Você deve recordar a cada 10% a 20 % do tempo em que você deseja guardar a informação. Veja o exemplo abaixo.

o intervalo de releitura em funcao do prazo para a prova

fonte:http://laplab.ucsd.edu/articles/Cepeda%20et%20al%202008_psychsci.pdf

O especialista em método de estudo Renato Alves fala sobre prática distribuída. Assista este vídeo específico para concurseiros.

O que você não pode deixar de fazer na sua preparação

O que vale a pena ser feito
vale a pena ser bem-feito
Nicolas Poussin

Montar uma estratégia de preparação para concursos é uma tarefa complexa.

Preparação para concursos tem peculiaridades. E estes fatores são importantes para você definir a sua forma de estudar:

  • Conseguir aprender rápido para estudar o gigantesco volume de disciplinas do edital.
  • Adquirir conhecimento duradouro para recordar de tópicos que você estudou meses atrás.
  • Não precisar de ninguém para estudar para concurso porque a maior parte da preparação é sozinho.
  • Sentir a evolução no estudo para não ficar frustrado e desanimar no meio do caminho.
  • Aprender como começar a estudar e espantar a procrastinação.
  • Técnica de estudo simples para utilizar o tempo no que é importante para você.
  • Métodos que não necessitem de conhecimento prévio do assunto porque a maioria das disciplinas são novas.
  • Pensar como a banca organizadora do concurso para estudar o que cai nas provas.

 

os criterios necessarios para escolher a tecnica de estudo

O professor Renato Alves passa informações interessantes no artigo “Você está pronto para tentar um concurso público?”. É um texto útil para quem inicia na vida de concurseiro.

Conclusão

Cada um tem um jeito de estudar para concurso. Se você usa outro método de estudo ou um classificado com eficiência baixa, não entre em pânico.

Comece a testar outras técnicas para ver se seu rendimento melhora.

Mas, é imprescindível resolver exercícios e fazer revisões. São técnicas que consideram os fundamentos do mecanismo de memorização no cérebro.

Escute os especialistas em aprender a estudar para você desenvolver todo seu potencial.

Eles desenvolveram métodos confiáveis aplicando estas técnicas em milhares de alunos.

Lembre-se! Concurseiro que usa a estratégia correta conquista a aprovação.

Só de você ler este artigo tenho certeza que refletirá sobre este assunto tão decisivo para garantir a sua aprovação.

Agora me diz, qual é a sua técnica preferida de estudo?

Vou gostar de conversar com você aqui embaixo.

oferta especial no inicio e final do artigo com imagem

Fale o que Você Pensa!